O Campeonato Nacional de Futebol em Juniores, edição 2014, terminou sábado, no Huambo, com a consagração do Clube Desportivo 1º de Agosto como novo campeão, ao derrotar no jogo da final a Académica do Lobito por 2-0.

A equipa militar da Região Norte  destronou  o Petro de Luanda, foi um justo vencedor, na medida que teve um percurso regular na competição que a província do Huambo albergou durante 15 dias, e que serviu de amostra de como está a evoluir o futebol jovem no país.

Sem desprimor para os outros participantes na prova, o 1º de Agosto  entrou na prova com o rótulo de repescado, e acabou de  sagrar-se campeão, deu mostras de que possui uma escola muito activa nos escalões de formação, e o título ora conquistado assenta-lhe muito bem, fruto dessa audácia.

Para a conquista do ceptro somou  sete vitórias, um empate e uma derrota, em nove jogos disputados, o que lhe conferiu a categoria de equipa que menos derrotas teve (uma) ao longo da prova, assim  como foi a mais concretizadora do campeonato, com 16 golos.

Para essa eficácia contribuiu  a segurança do seu guarda-redes que, ao cabo dos nove jogos sofreu apenas dois golos, razão pela qual foi indicado pela organização do campeonato como o guarda-redes menos batido.

Até ao apito final do juiz Rodrigues Aleixo que dirigiu a partida da final, foram disputadas 65 partidas,  56 da primeira fase, cinco para as classificativas da fase de consolação do quinto ao 16º lugares, duas referentes às meias-finais, uma relativa ao terceiro e quarto lugares  e a última, que foi a final.

Durante o campeonato foram marcados 170 golos, em 65 partidas,  o jogador Délcio Severino Bernardo, do Petro de Luanda apontou 10 tentos, que lhe  valeu a atribuição do título de melhor marcador da prova pela organização.

O Recreativo do Libolo recebeu a menção de equipa “Fair Play” da prova, enquanto o melhor jogador eleito foi Valdemiro Sebastião, do Benfica/Mambrôa do Huambo, e o juiz Rodrigues Aleixo foi o mais utilizado e mais cotado,  apitou  os jogos de abertura e da final.

O Petro de Luanda, desapossado do título, foi a grande decepção do torneio, ao terminar  na oitava posição, abaixo de  equipas como 1º de Maio de Benguela e Benfica do Huambo, dado o  rótulo que trazia da edição anterior, realizada na cidade de Benguela em Janeiro do ano passado.

NOTA DEZ
Organização impecável

A comissão encarregue de organizar o Campeonato Nacional de Futebol de Juniores, coordenada pelo presidente da APF do Huambo, António Rosário, fez um excelente trabalho.

Como não podia deixar de ser, mostrou muita eficácia, desde a elaboração do calendário da prova, a organização dos jogos, alinhamento dos  campos, formas de acesso, enfim, para além de outros factores conexos  ao torneio, com  uma ou outra falha, próprias de uma actividade do género.

A natureza que nesta época do ano não se cansa de  abençoar as populações do Huambo com fortes chuvas, foi  dos incómodos para a comissão organizadora e também para os jogadores, devido aos grandes charcos que deu origem  no terreno do jogo, impossibilitou  em algumas ocasiões que as partidas decorressem com regularidade em termos de qualidade.

Os órgãos de Segurança e Ordem Pública também tiveram um papel de destaque, a partir da actuação e presença constante da Polícia de Intervenção Rápida (PIR), Polícia da Ordem Pública, Corpo de Bombeiros e o Instituto Nacional de Emergências Médicas de Angola (Inema), sem esquecer a Cruz Vermelha de Angola.
AP

 

Facebook Comments

Post a comment