Brilhantes Sport Clube aposta na formação de jogadores

 

Foi numa manhã de 2008 que Domingos Abel, tenente-coronel das Forças Armadas de Angola, encontrou um grupo de crianças a jogar na rua no bairro Caop B, em Viana. O militar gostou do que viu, encontrou talento nas crianças e com elas resolveu criar um clube, a 20 de Agosto de 2008, baptizado de Sporting de Viana. Os equipamentos eram idênticos ao da formação portuguesa e, com isso, Domingos Abel contava ter apoios, talvez mesmo chegados do clube de Portugal. Como isso nunca aconteceu, mudou a designação para Brilhantes Sport Clube.

 

As crianças que ajudaram a fundar o clube hoje fazem parte da equipa júnior.

 

Apesar de algumas dificuldades em conseguir patrocínios e manter os quatro escalões, a direcção do clube tenta fazer tudo para que nada falte à equipa, adquirindo bolas, equipamentos de treinos, chuteiras, meias, luvas e cones.

 

Domingos Abel preside ao clube e tem mais militares a fazer-lhe companhia: Augusto Alegria e André Luís Nerú. O clube movimenta cerca de 100 crianças nos escalões de ‘caçulinhas’ (ou infantis) dos oito aos 11 anos, iniciados dos  dez aos 12, juvenis dos 14 aos 17 e ainda os juniores a partir dos 18. A equipa deste último escalão venceu, no ano passado, o campeonato provincial de Luanda da segunda divisão.

 

Os apoios chegam através da quotização dos seus membros, o que permite “dignificar o trabalho desenvolvido pela equipa de treinadores”, permitindo que estes recebam um subsídio mensal, diz  Domingos Abel. A direcção tenta, sempre que possível, ajudar os encarregados de educação a facilitar a obtenção das cédulas pessoais, das certidões e assentos de nascimento exigidos nos postos de registos para se conseguir o Bilhete de Identidade (BI).

 

Com cinco anos de existência, o Brilhantes Sport Clube possui vários trófeus na sua galeria: foi vice-campeão provincial e campeão nacional em iniciados, em 2010, e vice-campeão nacional e campeão provincial em juvenis, em 2011. Os juniores foram campeões provinciais em 2012 da segunda divisão e este ano a equipa de iniciados venceu a ‘Taça Caçulinha’, no Lubango, Huíla.

 

Osvaldo Joaquim, treinador da equipa mais jovem, a de infantis, garante que a equipa está bem de saúde e motivada mas, por serem crianças, “necessitam de muita atenção porque se distraem facilmente” e por isso “é aconselhável trabalhar com três treinadores”.

 

Sonho de craques

 

O presidente da escola assegura que a equipa trabalha entre as 7h00 e as 11h00 e obedece às recomendações da Associação Provincial de Futebol de Luanda e da Federação Angolana de Futebol no combate à adulteração de idades. “Em todas as competições, os atletas devem apresentar o BI e sem este documento o jogador fica de fora”, garante Domingos Abel.

 

Dorivaldo Telmo é um dos pequenos atletas que se sente feliz por jogar num “clube organizado” e que “lança jogadores para as principais selecções”. O jovem, com 14 anos e a frequentar a 8ª classe, confessa-se admirador de Geraldo, do Curitiba do Brasil, e de Job, do Petro de Luanda, mas a nível internacional prefere Lionel Messi, do Barcelona, e Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. Serafim Sagungo, de 12 anos, já se considera “melhor” jogador do que o irmão que joga na equipa de iniciados. A estudar a 7ª classe, joga como ponta-de-lança e sonha ser o “ melhor jogador do mundo” e representar a selecção nacional. Tem, como atletas de eleição, Didier Drogba, do Galatasaray da Turquia, e Job.

Fonte: Jornal Nova Gazeta

Facebook Comments

Post a comment